segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Comemorar quadrados

Próximo dia 6, sexta-feira, meu filho completa 36 anos.
Perguntei-lhe hoje a quantas andavam os preparativos para a comemoração.
Respondeu-me que mal lembrava de que completaria mais um ano.
Fiz minha advertência: não vais completar mais um ano. Vais chegar a teu sexto quadrado perfeito.
E isso vale bem mais do que um simples birthday.
Primeiro, porque os quadrados perfeitos são poucos. Até os 100 anos apenas dez deles nos aguardam. Mas não muitos chegam ao nono.
Segundo: os quadrados perfeitos seguem o tempo psicológico que é - a rigor - o único que conhecemos por experiência direta. A uma criança de 9 anos, falar que ela terá uma nova data significativa ao completar 16 anos deve soar como sinônimo de infinidade. No entanto, terão passado apenas 7 anos de um a outro.
Já meu filho reencontrará um quadrado perfeito só daqui a 13 anos. Não me arrisco a apostar qual dessas distâncias temporais é psicologicamente maior.
Talvez sejam iguais e resida aí o encanto dos quadrados perfeitos em nossa cronologia.

E também talvez fosse mais adequado comemorarmos apenas os birthday squared (se me permitem a expressão, que talvez até já exista).

Afinal, nossa importância não é assim tão significativa, para comemorarmos a continuidade de nossa respiração a cada 365 dias.

3 comentários:

Suzie Q Motta disse...

Que delícia Beto! Falei com ele hoje e ele me disse "sem comemorações" como se não conhecesse a Tathi! Sua idéia é ótima, vou implantar meus squared birthdays (antes preciso verificar qdo ocorrem) e alardear a idéia.Agora, se fosse para comemorar segundo o critério de nossa importância aí valeria a autoavaliaçao de cada um: os exibidos comemorariam todos os dias!

Suzie Q Motta disse...

Completando o comentário anterior: não estou disposta a chegar ao meu próximo quadrado perfeito!

maray disse...

eu andava pensando em comemorar só as décadas, por uma questão de economia, mas isso dos quadrados perfeitos é chiquérrimo. Se bem que, com a idade, cá pra nós, a gente deveria é comemorar todos os dias, vai que um desses seja o último...

Abraços