segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Banana com aveia


Quando eu era criança, por ser sofrível a comida que lá em casa se servia, refugiei-me na banana com aveia.
A culpa não era de minha mãe. Durante muitos anos ela trabalhou nos três períodos do dia, de segunda a sábado. Como professora de matemática. Os domingos, claro, eram dedicados à igreja. A cozinha ficava entregue a empregadas que, salvo raríssimas exceções, não eram propriamente o supra sumo em matéria de culinária.
Bom. Talvez o problema não fosse exatamente a falta de expertise das empregadas. Certa vez meu pai contratou uma que era o que na época se intitulava de forno e fogão. Passados alguns dias de usufruto de sabores novos e deliciosos, meu pai pediu à Mestre Cuca mil desculpas e demitiu-a. Ela estava estourando o orçamento doméstico.
Éramos pobres, diga-se logo.
Quanto a mim, continuei a almoçar um quase nada e, lá pelas 3 ou 4 horas da tarde, pegava um prato fundo, colocava nele seis bananas descascadas, amassava-as com capricho, adoçava a maçaroca resultante e a cobria com perto de 300 gramas de aveia em flocos. Tudo muito bem misturado, devorava a ambrosia resultante. Ambrosia, aqui, denota comida dos deuses, não o doce, aquele.

Anos depois, por desfrutar de alimentação mais elaborada, deixei a banana com aveia um tanto de lado. Mas voltava a recorrer a ela sempre que algo de diferente acontecia. Por exemplo, no Presídio Tiradentes, logo que minha mãe me enviou caixas de aveia e banana e algo para adoçar a mistura, voltei a me valer do recurso.
Na primeira vez em que me muni de um prato e comecei a preparar a banana com aveia, os cinco que dividiam comigo a cela pararam o que faziam e começaram a olhar minha atividade, num misto de curiosidade e surpresa. Pronta a banana com aveia, um deles, mais corajoso, perguntou se podia experimentar.
Dali em diante, sempre que me dispunha a preparar banana com aveia, tinha de providenciar seis porções.

Seria importante esclarecer alguns aspectos referentes ao modo de adoçar a banana com aveia. Pode ser com açúcar (refinado, mascavo etc), com leite condensado, com mel, com adoçante...

Como passei a pertencer ao clube dos diabéticos, adoço a banana com aveia, agora, com mel.
Aliás, se me dão licença...

2 comentários:

Helga Ilse Bekman disse...

Minha mãe faz isto há anos no café da manhã. Só que ainda acrescenta iogurte natural e pão integral. Uma refeição com "sustança". Será este o segredo da sua longevidade?
Gostoso também é banana inteira com requeijão. Experimente. ;-) bjim

Saltapocinhas disse...

nunca tinha ouvido falar em tal comida!
tenho bananas e também tenho aveia que comprei para fazer uns bolinhos, por isso amanhã vou experimentar.