sexta-feira, 30 de março de 2012

Amigos


Um ex-amigo meu costumava dizer:
- É preciso chegar ao fim da vida com, ao menos, seis amigos. Esse é o número de alças do caixão.
Pois é. Como não pretendo ser enterrado, e, sim, cremado, não vai ser preciso carregar solenemente meu caixão até a sepultura. Vai daí, dispensei esse amigo.
Claro que não foi pela frase dele. Foi por falta de respeito mesmo.
Afinal, se alguém não te respeita, qual a razão pra que o tenhas como amigo?

Há, por outro lado, amigos que te acompanham vida afora. Esses valem ouro.

Por isso mesmo, quando percebes que um deles se afasta, e - parece - de modo inexorável, uma dor inevitável se instala.

Se ao menos fosse possível entender essa perda...

2 comentários:

lua singular disse...

Olá, Nós somos eternamente sós
E não adianta chiar.
Assim é a vida
Abç

lua singular disse...

Olá, Nós somos eternamente sós
E não adianta chiar.
Assim é a vida
Abç